Visto como uma modalidade voltada ao público jovem, que busca incessantemente conquistar aquele "tanquinho" exibido pelas famosas e as poses de ponta-cabeça, o Pilates pode ser uma arma em um cuidado muito especial: com o idoso.

Prática criada por Joseph H. Pilates, o método Pilates tem como base ser uma atividade física pautada em seis princípios básicos: o da respiração, concentração, controle, alinhamento, centralização e integração dos movimentos. Quando esses itens são bem executados e orientados, não trazem impactos nocivos para as articulações, ligamentos e musculatura.

O Pilates trabalha a consciência postural, integra corpo e mente e traz melhor qualidade de vida, além de trabalhar os músculos de forma completa e satisfatória. E são esses princípios que podem agregar na vida da terceira idade.

"A prática do Pilates ajuda na autoconfiança do idoso, o que é muito importante", conta a fisioterapeuta Paula Gissoni, sócia da PGFysio Fisioterapia Postural, que possui um estúdio completo de Pilates e lida diariamente com o cuidado com a terceira idade. "Na maior parte das vezes, o idoso sente a necessidade de se alongar, de se exercitar e não sabe como. Em um estúdio de Pilates, ele aprende mais sobre a filosofia, é tratado de forma individual e suas necessidades se encaixam perfeitamente", exemplifica a fisioterapeuta, que possui diversos cursos de capacitação pelo Metacorpus Studio Pilates.

O Pilates é recomendado para todas as pessoas, mas é importante que o fisioterapeuta responsável saiba se o paciente possui alguma restrição. "Se tiver alguma dúvida, é preciso consultar o médico, que anotará qualquer restrição que o idoso possa vir a ter e deixará o fisioterapeuta responsável ciente durante a aula", explica Paula. Com a assiduidade nas aulas, o aluno consegue encontrar diversos benefícios para seu corpo e saúde. Além de melhorar a postura e a autoconfiança, quem pratica Pilates aumenta a resistência física e mental, alivia tensões, estresse e dores crônicas, melhora a coordenação motora - o que pode ajudar o idoso a evitar possíveis quedas -, tem maior mobilidade nas articulações, estimula o sistema circulatório e oxigenação do sangue, facilita a drenagem linfática e a eliminação de toxinas, fortalece órgãos internos, entre muitos outros pontos positivos.

"É importante fazer o idoso se sentir útil, trabalhar o cérebro e os músculos. Ele não pode ficar parado, estagnado em frente ao televisor, pois assim as suas limitações só irão aumentar e piorar. Sempre encoraje e ressalte os progressos dele, pois isso é um fator motivacional muito legal e importante", finaliza a fisioterapeuta.

Fonte: Terra