Durante o envelhecimento, é iniciado o processo chamado de sarcopenia, que consiste na perda drástica de massa e força muscular. Por isso, os idosos devem se exercitar para evitar a perda da autonomia e o comprometimento da qualidade de vida.

Estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, nos Estados Unidos, mostrou que adultos saudáveis inativos perderam 2% de massa muscular magra das pernas em um período de 28 dias. Já com idosos saudáveis, o estudo demonstrou que os pacientes perderam até 10% da massa magra das pernas em apenas 10 dias.

Alterações hormonais podem contribuir para a forma como o corpo constrói e recupera os músculos. A perda de massa muscular diminui a força, a energia e a mobilidade. A consequência é o aumento gradativo do risco de quedas, doenças e problemas de saúde. Nesta fase, uma alimentação adequada rica em proteínas e nutrientes específicos, como o HMB (beta-hidroxi-beta-metilbutirato), pode contribuir para prevenir a degradação muscular, informou a nutricionista e gerente científico da área Nutricional da Abbott no Brasil, Patrícia Ruffo.

"O HMB, quando combinado com proteínas e vitamina D é capaz de estancar a degradação muscular, prevenindo ou amenizando a perda de funcionalidade, bem como assegurando mais qualidade de vida e um envelhecimento saudável", informou Patrícia.

Uma das atividades para fortalecer a musculatura é o pilates. Toda semana, 60 mulheres e 20 homens fazem pilates no solo no Civi (Centro de Integração e Valorização do Idoso), em Americana, com o fisioterapeuta Rodrigo Dias, 56. "A modalidade de pilates não é somente uma atividade física. É como se fosse um remédio curador para a saúde, para órgãos internos e externos. O que eles fazem aqui é bom para os músculos, eles perdem a (massa) gorda e ganham a magra. Eles são muito vitoriosos justamente por isso", diz o professor. Os exercícios ajudam a fortalecer as articulações, os músculos, o pulmão, o corpo em geral e até mesmo a "cabeça".

"Os idosos, quando chegam ao Civi para fazer pilates, chegam com dificuldade articular e muscular. Trabalho os músculos e os ossos e a cabeça principalmente, porque, na verdade, a cabeça adoece o corpo. As pessoas quando vem para cá trazem uma série de problemas, psicológico, de família, de trabalho e a gente faz um trabalho específico para curar essa cabeça para melhorar o corpo", explicou o professor.

PIERINA CLEUSA FASSINI

A aposentada Pierina Cleusa Fassini, 63, sentia que perdia força nos braços e nas mãos. Não conseguia mais carregar o mesmo peso da fase adulta. "Por isso que eu faço hidroginástica, faço ginástica, eu faço tudo que tem direito aqui nessa academia. O pilates é muito bom. Não tenho mais cãibras. Tinha muita dor nas pernas e não tenho mais nada. Eu posso dizer que sou uma pessoa perfeita e trabalho muito na minha casa porque já sou aposentada há 12 anos", disse Pierina.

Junto com os exercícios, mudou a alimentação e consome alimentos integrais. "A pessoa quando entra em uma idade tem que tomar muito cuidado para estar fazendo tudo certinho para ela viver muito mais", disse Pierina.

ROSA APARECIDA

Aposentada há dois anos, Rosa Aparecida Ribeiro dos Santos, 65, disse que tinha problemas de coluna, artrose e bico de papagaio, e o pilates ajudou a eliminar a dor. Além de pilates, ela faz hidroginástica e vai começar zumba. "Estou vivendo minha vida agora. Os filhos estão casados, os netos estão moços e o marido, aposentado, e agora que estou vivendo minha vida. Agora eu quero mais", brincou Rosa.

Fonte: Uol